Voltar para o Início

Como as marcas estão reinventando o storytelling


ALEXANDRE ARAÚJO - 26/11/2018 - 0 comments

Como as marcas estão assumindo o controle de suas narrativas e reinventando o storytelling

Eles decidem quando, como e onde seus consumidores verão seu conteúdo

Antigamente, marcas, empresas e qualquer outra pessoa que possuísse uma mensagem precisavam de uma rede que captasse milhões de espectadores ou ouvintes para ajudar a divulgar sua mensagem. Eles confiaram no que hoje chamamos de “publicidade interruptiva” para transmitir durante os programas mais populares, seja de rádio ou de televisão. Uma confluência de mudanças mudou completamente essa dinâmica.

As marcas agora estão no banco do motorista da narrativa, criando conteúdo interno que é atraente e impactante. Os consumidores podem assistir, ouvir ou consumir esse conteúdo em diversas plataformas e dispositivos, seguindo as marcas diretamente para seus canais e manipulando as mídias sociais. E as redes tradicionais, embora continuem sendo os bastiões do conteúdo de qualidade em formato longo, estão explorando maneiras de levar a narrativa para telas maiores.

O que provocou essa mudança? Por um lado, as marcas têm trazido cada vez mais o seu trabalho criativo, cortando custos e permanecendo ágeis no cenário de mídia. O modo como as pessoas consomem mídia também evoluiu: os consumidores observam conteúdos com muito mais cuidado que antigamente – incluindo, de forma surpreendente, conteúdos de formatos mais longo – em seus dispositivos móveis, como smartphones e tablets.

As [Marcas] estão substituindo rapidamente as principais redes em que antes confiavam para divulgar sua mensagem, em vez de criar seu próprio conteúdo para serem consumidas em suas próprias plataformas.

Enquanto isso, os consumidores começaram a ver as marcas que amavam de forma diferente. Eles queriam que as marcas assumissem posições políticas, fossem ousadas, contassem histórias. A maneira como olhamos para o conteúdo de marca mudou. Nós crescemos mais perto das marcas que amamos. Estamos nos conectando a eles nas redes sociais, vendo nossas celebridades favoritas, criadores de conteúdo e influenciadores usarem seus produtos no Instagram Stories e no Snapchat e estão consumindo o conteúdo que criam porque os temas, personagens e histórias ressoam conosco.

Como resultado dessas mudanças, as marcas estão em uma nova posição. Eles estão rapidamente substituindo as principais redes em que antes confiavam para disseminar sua mensagem, em vez de criar seu próprio conteúdo para serem consumidos em suas próprias plataformas.

As diferenças agora, no entanto, são inumeráveis. Por um lado, as marcas não precisam buscar a aprovação tradicional da mídia para seu trabalho. Todos os filmes, programas, podcasts ou outros conteúdos completos podem ser exibidos diretamente no website da marca ou em seus canais de mídia social.

Em segundo lugar, as marcas ficaram mais inteligentes sobre como criar conteúdo que ressoa com espectadores e consumidores.

O melhor de tudo é que as marcas podem segmentar quem desejam ver esse conteúdo em qualquer plataforma que escolherem. Eles não precisam pagar para divulgar esse conteúdo em uma grande rede de TV, mas podem procurar o mercado que deseja esse conteúdo como e quando querem.

É uma nova era para o conteúdo. A única questão agora é até onde vão as marcas. Fique ligado.

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *