Voltar para o Início

Saiba como proteger os seus produtos da pirataria na internet


ALEXANDRE ARAÚJO - 01/10/2018 - 0 comments

Transmissões em streaming e filmes são apenas a ponta do iceberg

Eliminar as suas informações de páginas públicas é fácil se comparado às conversas em grupos privados.

A mídia social têm vários problemas com a pirataria. Um desses problemas aparece, por exemplo, quando fazemos pesquisas superficiais no Facebook em busca de filmes específicos ou por transmissões ao vivo de eventos esportivos que deveriam ser pagos ou por assinatura. Houve um relato recente que um bilhão (sim, você leu certo) das pessoas assistiram a 7 ª temporada de Game of Thrones via downloads ilegais e apenas 31 milhões assistiram legalmente. Dezenas de milhões de pessoas assistem a grandes lutas e jogos ilegalmente, causando prejuízos financeiros não apenas as redes, mas também aos patrocinadores, jogadores e competidores e etc.

Temos que concordar que o Facebook é uma plataforma fácil de se culpar. Como acontece em outras redes, eles estão tentando reprimir a pirataria, mas, por outro lado, não querem assumir a responsabilidade das buscas por Streaming ilegais que acontecem dentro da sua plataforma. Em vez disso, preferem confiar apenas nas pessoas que as reportam. No fim, podemos dizer que o Facebook pode ser um facilitador de links para sites piratas.

Mas o Facebook é apenas a ponta do iceberg da pirataria.

Neste momento, as pessoas estão se movendo em direção a grupos privados nas mídias sociais. Eles postam menos, visualizam mais e compartilham em aplicativos de mensagens ou grupos fechados do que em páginas públicas.

Caso você possua ou deseja criar conteúdos, provavelmente irá fazer uma das duas coisas: espalhá-lo por toda parte ou monetizá-lo. De qualquer forma, você vai querer saber onde isso acaba, legal ou ilegalmente.

É uma tarefa enorme, mas há coisas que você pode fazer para monitorar onde seu conteúdo está sendo compartilhado, pelo menos em áreas públicas. E você também pode participar de grupos privados, se estiver preparado para trabalhar.

01. Pesquise as interações de palavras-chave

Caso o seu conteúdo seja realmente bom, ele será compartilhado ilegalmente. Concorde com essa afirmação desde o início, mas após aceitar esse fato, desenhe uma linha de até onde é aceitável.

Pense em como seu conteúdo provavelmente será listado nos sites de pesquisas como Google, Bing ou qualquer outro buscador da internet, incluindo gerando erros de digitação para encontrá-lo.

Normalmente, o uso de palavras-chave intimamente relacionadas ao conteúdo gera resultados; No entanto, em muitos casos, o compartilhamento é transitório, especialmente quando se trata de transmissões ao vivo. Em algum momento podem ocorrer erros de digitação, portanto, a elaboração de uma lista secundária de erros ortográficos comuns das palavras-chave identificadas gerará muito mais resultados.

02. Brinque de detetive

Esteja preparado para seguir vários links, pois os sites de fluxo de dados costumam passar de um link para outro, conforme são relatados e eliminados pelas grandes redes.

Um método comum é mostrar os primeiros minutos de um conteúdo e incentivar o espectador a seguir um link para outra versão completa hospedada. Isso muitas vezes leva você à fonte e a uma investigação mais frutífera. Você pode com a ajuda do Google Analitics chegar a algum ponto de partida mais sólida. Além disso, se um link for removido, defina um lembrete para verificar novamente mais tarde, pois o conteúdo poderá ser novamente carregado.

03. Acompanhe as palavras-chave

É mais difícil do que parece, especialmente depois que o Google e a Microsoft concordaram no ano passado em rebaixar sites piratas em seus rankings de busca. Mas ainda é possível. O grupo de pessoas que faz o compartilhamento inicial é pequeno; Se você puder limitar sua produção, poderá controlar a grande maioria das fontes e, com o tempo, reduzir versões não aprovadas do seu conteúdo.

04. Identifique quem está compartilhando os links

Geralmente, são grupos de fãs e, geralmente, o nome do grupo incluirá o nome do filme ou o conteúdo a ser transmitido ou baixado. A pirataria é fundamentalmente um exercício de validação social. Subir para identificar onde normalmente compartilham o conteúdo primeiro ajudará a cortar o ciclo vicioso ou identificará as principais redes sociais ou mídias responsáveis pela pirataria.

05. Derrube-os

A maioria dos sites piratas são utilizadas para se comunicarem entre si, e funcionam como espelhos, ou seja, o link pode cair num determinado site, mas aparecer em outro automaticamente. Os detentores de direitos tiveram a maioria de seus sucessos buscando as fontes  iniciais de compartilhamento, já que as leis geralmente são claras sobre esse ponto em todo o mundo. Perseguir os consumidores é um exercício dispendioso e ineficaz e é susceptível de gerar má vontade a longo prazo.

Por fim, crie o problema em seus planos de conteúdo. A pirataria não é um problema que está desaparecendo. Se seu conteúdo for bom, ele será compartilhado ilegalmente. Concorde com isso desde o início, e desenhe a sua linha do que é e não é aceitável ser compartilhado.

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *